Quais os poluentes mais comuns em um escritório?

23 de novembro de 2022

Você sabia que uma pessoa passa em média cerca de 90% do tempo em ambientes internos? Além disso, o ar interior pode ser até cinco vezes mais poluído que o ar externo, o que afeta diretamente nossa saúde, bem-estar, produtividade e qualidade de vida. Esta é a razão pela qual a qualidade do ar interior (QAI) tem sido cada vez mais reconhecida como fundamental para a nossa saúde.

Existem muitas fontes de poluição do ar interno em edifícios industriais e comerciais, incluindo a própria poluição externa, sendo que a periculosidade desses agentes vai depender da concentração e da capacidade que o sistema de ventilação tem de remover o contaminante. 

Alguns dos contaminantes mais comuns encontrados em ambientes internos de escritórios são:

  • Partículas finas PM2.5, partículas ultrafinas PM1: poeira, fumaça, pólen, mofo, emissões industriais, partículas de borracha de pneus deixadas sobre asfalto. As partículas finas geralmente entram no escritório vindas da área externa.
  • O formaldeído (CH2O) é um gás tóxico que pode ser encontrado tanto em ambientes externos quanto internos. Internamente, as fontes são materiais de construção e acabamento, chapas de fibra, MDF, laminados, tintas e vernizes, desinfetantes e aromatizadores de ambiente;
  • O dióxido de carbono (CO2) é um produto da respiração, e seu alto nível indica funcionamento insuficiente dos sistemas de ventilação;
  • O monóxido de carbono (CO) é um gás tóxico, inodoro e incolor. As principais fontes são fogões a gás, fumaça de tabaco, queima de combustível, querosene e aquecedores a gás;
  • O dióxido de nitrogênio (NO2) é um produto da combustão e está contido nas emissões dos veículos, especialmente aqueles movidos a diesel. Se o escritório estiver localizado próximo a tráfego intenso, os níveis de NO2 podem ser altos.
  • Contaminantes biológicos como bactérias, fungos, vírus, ácaros, insetos e seus subprodutos, como endotoxinas e micotoxinas.  Fatores como temperatura, umidade relativa, luminosidade e circulação de ar estão diretamente ligados à sobrevivência dos contaminantes biológicos.

Diante disso, podemos dizer que a qualidade do ar interior é uma responsabilidade partilhada, pois os fatores que impactam sobre ela podem originar de diferentes áreas: de um projeto HVAC inadequado (arquitetura), dos padrões de manutenção do sistema HVAC e de limpeza (gestores de facilities), já com relação aos móveis e materiais de reforma utilizados, a responsabilidade pode recair muitas vezes sobre os próprios inquilinos e ocupantes do edifício.

Controle de poluentes e contaminantes

Independentemente da origem poluidora, na grande maioria das vezes um bom diagnóstico e tratamento do ar interior é capaz de neutralizar todas essas deficiências.

Com tecnologias como a Active Pure é possível unir eficácia de alta performance, praticidade e sustentabilidade. Em sua 5ª geração, patenteada em 2020 nos Estados Unidos, é a única a contar com a aprovação do FDA como Medical Device Class 2 e estudo de validação de eficiência do IPT.

Assim que o equipamento é ligado, as partículas do ActivePure preenchem rapidamente a sala e imediatamente começam a decompor todos os contaminantes. Estudos demonstram que o ActivePure consegue reduzir em até 99,99% a maioria dos agentes contaminantes transportados por ar em apenas 20 minutos.

Mofo, Cov’s, bactérias e vírus (inclusive o Sars Cov-2, causador da Covid-19) são eliminados do ambiente em pouco tempo, sem causar aumento com energia. Importante salientar que a tecnologia Active Pure é totalmente inócua ao ser humano, ou seja, não causa nenhum tipo de dano à saúde humana, podendo ser utilizada em ambientes ocupados.

Para saber mais sobre tecnologias de descontaminação do ar interior, fale com a Ecoquest.

Fontes:

https://www.epa.gov/indoor-air-quality-iaq/office-building-occupants-guide-indoor-air-quality

https://link.springer.com/article/10.1007/s11869-021-00978-z

Logo Ecoquest

A Ecoquest

Somos uma empresa com ampla experiência em soluções para tratamento do ar interno e do ar de exaustão, construindo histórias de sucesso em diferentes segmentos do mercado.

Artigos Relacionados

Mudanças Climáticas: Quais os impactos que devemos esperar na Qualidade do Ar Interno?

A Luz UV Germicida é confiável na Prevenção de Doenças em Ambientes Internos?

Bactérias nocivas em academias: como combatê-las?

Inscreva-se em Nossa Newsletter

Ao se inscrever você concorda com os termos da Política de Privacidade