Exposição ao mofo: efeitos colaterais a longo prazo

28 de abril de 2023

Embora os fungos tenham sua função na natureza, e sirvam para muitos fins como a produção de medicamentos, o último lugar que queremos vê-los é em casa ou no trabalho. A exposição a longo prazo ao mofo pode gerar uma série de efeitos colaterais nos humanos, variando de leve a bastante grave.

O que torna o mofo perigoso?

O mofo pode liberar no ar o que é conhecido como micotoxinas. À medida que o mofo cresce, mais dessas micotoxinas são liberadas no ar. Em níveis baixos, eles podem não ser prejudiciais, mas à medida que aumentam, aqueles que são mais sensíveis a essas micotoxinas podem começar a sofrer efeitos colaterais.

Idosos ou crianças, juntamente com pessoas que têm asma ou outros problemas respiratórios e sinusais são consideradas pessoas mais suscetíveis à exposição as micotoxinas. E mesmo aqueles que não são sensíveis podem começar a desenvolver sintomas de exposição prolongada ao mofo e esses sintomas podem ser bastante prejudiciais.

Quais são os sintomas da exposição prolongada ao mofo?

A exposição prolongada ao mofo em casa ou no local de trabalho pode ser prejudicial a todos, independentemente da sua saúde atual. Para indivíduos sensíveis, mesmo uma pequena exposição pode desencadear uma série de sintomas. A intoxicação por mofo, também conhecido como micotoxicose, pode causar e agravar problemas respiratórios.

Aqueles que sofrem de asma podem encontrar um aumento nos sintomas, como respiração ofegante e ataques, embora seja importante observar que não são apenas os indivíduos sensíveis que sofrem com esses tipos de sintomas. Indivíduos perfeitamente saudáveis, sem histórico de problemas respiratórios, sofrem de tosse prolongada, chiado no peito e dificuldade para respirar.

Isso combinado com um sistema imunológico enfraquecido que a exposição prolongada ao mofo pode causar pode levar a condições ainda piores, como bronquite. Além dos problemas respiratórios, sintomas como irritação nos olhos, irritação da pele e problemas de sinusite também podem estar presentes.

Quanto ao aumento da toxicidade, as pessoas expostas ao mofo por um longo período podem começar a sentir sintomas como dores de cabeça e enxaquecas persistentes, aumento da exaustão e cãibras musculares. A pessoa exposta em casos mais graves também pode sofrer de sensibilidade à luz, ganho de peso e queda de cabelo.

Embora muitas pesquisas tenham sido feitas para estudar os sintomas físicos da exposição prolongada ao mofo, pesquisas mais recentes têm investigado a ligação entre a exposição prolongada ao mofo e alguns problemas psicológicos.  Alguns casos relataram insônia, confusão, dificuldade de concentração, ansiedade, depressão e perda de memória e de apetite. Esses problemas também podem ser exacerbados se a pessoa que está sendo exposta também sofre de algum tipo de lesão cerebral anterior. Embora ainda haja muito a ser pesquisado e compreendido sobre como o envenenamento por mofo pode causar esses problemas

Como tratar e prevenir o Mofo

No final das contas, a melhor maneira de prevenir o crescimento do mofo é controlar a umidade do ambiente e tratar o ar com tecnologias de purificação:

  • Desumidificar:  Use  um desumidificador para reduzir a umidade interna. Tente manter o nível de umidade em torno de 40% de umidade relativa para condições ideais.
  • Ventilação adequada:  se você notou condensação nas janelas, o ambiente pode não estar bem ventilado. Considere abrir janelas e instalar um ventilador  para melhorar o fluxo de ar em sua casa e limitar a criação de umidade.
  • Use um purificador de ar:  tome medidas para reduzir o risco de inalar esporos de mofo e outros alérgenos transportados pelo ar. Use um purificador que possua tecnologia ativa, eliminando os esporos partículas microscópicas do ar interno.

Tecnologias Ativas

De acordo com Henrique Cury, diretor da Ecoquest e membro atuante do Qualindoor, Departamento Nacional de Qualidade do Ar Interno da Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento (ABRAVA), é necessário lançar mão de soluções tecnológicas avançadas para ajudar no processo de mitigação do mofo. “Nestes casos, soluções com ozônio a peróxido de hidrogenio seriam as melhores opções para a resolução do problema”, explica Cury.

Em casos específicos de alagamento, a Ecoquest possui serviço de descontaminação do ambiente por meio da ozonização de ambientes desocupados, que elimina o fungo e os odores causados por ele. O mesmo procedimento se estende aos carros que foram cobertos pela água.

Já a tecnologia ActivePure, uma das soluções oferecidas exclusivamente pela Ecoquest no Brasil, pode ser utilizada em ambientes ocupados, sanitizando o ar de forma ininterrupta. Além dos fungos causadores do mofo, ActivePure inativa uma grande variedade de microorganismos nocivos à saúde, dentre eles o Sars Cov 2, causador da Covid-19.

Para mais informações, fale com a Ecoquest.

Fontes:

https://www.healthline.com/health/how-long-does-it-take-to-get-sick-from-mold-exposure

https://ecosenvironmental.com/long-term-side-effects-mold-exposure/

Logo Ecoquest

A Ecoquest

Somos uma empresa com ampla experiência em soluções para tratamento do ar interno e do ar de exaustão, construindo histórias de sucesso em diferentes segmentos do mercado.

Artigos Relacionados

Ondas de Calor: passando cada vez mais tempo em ambientes climatizados, precisamos mais que nunca atentar para Qualidade do Ar Interior

Qualidade do Ar em Manaus evidencia urgência por tecnologias de tratamento do ar interior

Movimento liderado por mães pede mais qualidade do ar nas escolas de Winsconsin

Inscreva-se em Nossa Newsletter

Ao se inscrever você concorda com os termos da Política de Privacidade