Descarbonização e Qualidade do Ar Interno: Megatendências Emergentes

26 de março de 2024

O grande desafio que a humanidade está enfrentando é o aquecimento global e o setor da construção tem um papel fundamental na redução da emissões de carbono (descarbonização), uma vez que os edifícios em que vivemos e trabalhamos são responsáveis por cerca de 40% das emissões de gases de efeito estufa (GEE) relacionados à energia.

Vislumbrando esse movimento mundial o USGBC e IWBI fortaleceram ainda mais a parceria estratégica para acelerar a certificação de edifícios saudáveis ​​e sustentáveis. A parceria se concentra na simplificação do processo para obter certificações duplas WELL e LEED por meio de uma faixa de pedestres bidirecional e uma revisão coordenada de terceiros supervisionada pela Green Business Certification Inc. excelência em desempenho e prática de edifícios verdes em todo o mundo.

Para saber mais, clique no link abaixo:

https://www.usgbc.org/articles/usgbc-and-iwbi-strengthen-their-strategic-partnership-accelerate-healthy-sustainable

 

Baseados nestas premissas, a descarbonizarão  de edifícios e seus sistemas deve se fundamentar em uma análise holística, incluindo:

  1. ambientes saudáveis, seguros e confortáveis;
  2. eficiência energética;
  3. impactos ambientais;
  4. sustentabilidade;
  5. segurança operacional;
  6. economia.

Megatendências em QAI

Quando falamos em ambientes saudáveis, a qualidade do ar interno é fundamental.  As megatendências de qualidade interna do ar em edifícios saudáveis são:

  • Revisão das normas para melhora dos sistemas de filtragem, sendo o PM 2.5 o elemento de maior preocupação

Partículas finas ou PM 2.5 referem-se a partículas no ar com um diâmetro de menos de 2,5 micrômetros. Devido ao seu tamanho reduzido, elas podem penetrar profundamente nos pulmões e até entrar na corrente sanguínea, causando diversos problemas de saúde. A ênfase na filtragem do PM 2.5 visa melhorar a qualidade do ar, removendo essas partículas prejudiciais eficientemente.

  • Introdução de controle de umidade relativa

A umidade do ar tem um papel significativo na propagação de contaminações. Níveis de umidade abaixo de 40% e acima de 60% facilitam a propagação de vírus e outros contaminantes. Manter a umidade relativa do ar dentro desses limites ajuda a criar um ambiente mais saudável e menos propício à disseminação de doenças.

  • Utilização do nível de CO2 como marcador para medição de taxas de ventilação predial e distribuição de ar

O CO2 é um bom marcador para medição de taxas de ventilação predial e distribuição, ou seja, é uma boa referência para controle da renovação de ar. Contudo, o CO2  não é um bom indicador interno de QAI. Entender as limitações dessa abordagem é crucial para usá-la efetivamente na avaliação da QAI.

  • Controle do nível de COVs com medições do Total de COV

COVs são uma ampla gama de compostos que podem ser emitidos por vários produtos e materiais dentro de edifícios. Eles incluem substâncias que podem ser irritantes, carcinogênicas ou ter outros efeitos nocivos à saúde. Medir a concentração total de COVs ajuda a avaliar a carga geral de contaminantes voláteis no ambiente interno.

  • Medição de contaminantes específicos (ozônio, monóxido de carbono e formaldeído)

Além da medição total de COVs, é importante monitorar alguns contaminantes específicos – ozônio, monóxido de carbono e formaldeído – devido à sua prevalência e gravidade potencial. O ozônio pode ser irritante para as vias respiratórias; o monóxido de carbono é tóxico e pode ser fatal em altas concentrações; o formaldeído é um irritante conhecido e potencialmente cancerígeno. Monitorar esses e outros contaminantes específicos ajuda a garantir um ambiente interno seguro e saudável.

Monitoramento

E como diria Peter Drucker, “Se você não consegue medir , não pode melhorar”

Temos que implementar medições online de forma a que possamos acompanhar a situação do ambiente interno, que é um corpo vivo em mudança constantemente. Uma vez que estamos medindo e identificando problemas, podemos implementar ações de ajuste e reparo aos problemas identificados.

Desta forma, Tecnologias ativas como ActivePure têm se mostrado uma solução muito eficaz e segura para aumento da qualidade interna do ar (aumento da Biossegurança) sem comprometer a necessidade atual do mundo de redução de emissões de gases de efeito estufa (GEE).

Logo Ecoquest

A Ecoquest

Somos uma empresa com ampla experiência em soluções para tratamento do ar interno e do ar de exaustão, construindo histórias de sucesso em diferentes segmentos do mercado.

Artigos Relacionados

5 Perguntas e Respostas sobre a Certificação LEED

Como as ondas de calor podem piorar a qualidade do ar interno

6 previsões sobre o futuro da Qualidade do Ar interior

Inscreva-se em Nossa Newsletter

Ao se inscrever você concorda com os termos da Política de Privacidade